As Notícias do Brasil
Publicado em 12/11/2015, às 19:43
Fonte:

Pátria sem leitores

Sete em cada dez brasileiros afirmam não terem lido nenhum livro em 2014

Neste Dia Nacional da Alfabetização, comemorado em 14 de novembro, devemos fazer uma grande reflexão, já que a prática da leitura em nosso país esteja longe de qualquer exaltação. Dados levantados pela Federação do Comercio do Rio de Janeiro apontam uma queda de 35% no índice de leituras, de acordo com 30% dos entrevistados. Mais alarmante ainda é fato de 70% dos entrevistados não terem lido um único livro em 2014.

A ausência do hábito de leitura foi a justificativa de grande parte dos entrevistados, o que remete, portanto, a uma falta de estímulo quanto ao assunto e direciona os olhares para a educação no país. O Brasil ocupa o 60º lugar em nível de ensino, entre os 76 países avaliados pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE.

Cabe observar que desde o fim da ditadura, em 1984, passaram 19 pessoas pela pasta da educação. Tal rotatividade dificulta a formulação de políticas de longo prazo e a continuidade nos projetos já elaborados. Neste ano, o Governo Federal anunciou dois cortes significativos no setor – o segundo, apenas dois meses depois do primeiro. Atitudes assim sugerem que a prioridade neste período democrático não está em formar cidadãos, mas alienados potenciais.

Os resultados de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM indicaram nota zero para as redações de mais de 500 mil brasileiros – 8,5% do total avaliado. Apenas 0,004% dos estudantes conquistou nota máxima. Dos jovens brasileiros com idade entre 15 e 24 anos, 15% é considerado analfabeto funcional. Ou seja, não são capazes de interpretar textos e limitam-se à conhecimentos matemáticos simples. No entanto, esses jovens são aprovados no nível superior e hoje correspondem a 38% dos universitários. Como será possível concluir uma graduação sem as faculdades cognitivas desenvolvidas?

Por Jéssica Albuquerque para EAB.