Notícias

04.01.2019
Educação

Estudante conquista prêmio nacional de Jovem Cientista com plástico feito de maracujá

Estudante do ensino médio e também do curso técnico de administração no Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul (IFRS), Juliana Davoglio Estradioto criou um filme plástico a partir das sobras do maracujá.

Com a criação, Juliana conquistou o primeiro lugar no 29º Prêmio Jovem Cientista, promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico (CNPQ) e representará o Brasil no Seminário Internacional Jovem de Ciência de Estocolmo, na Suécia, além de participar também do “Genius Olympiad”, em Nova York.

O projeto, que durou cerca de 12 meses e foi orientado pela professora Flavia Santos Twardowski, se mostra uma alternativa para os sacos plásticos, os quais demoram muito mais tempo para se decompor. Além da diminuição do uso de plástico sintético, a ideia da estudante é que seu projeto ajude a diminuir o descarte dos restos de maracujá.

“Quando se realiza a produção industrial do suco de maracujá, geleias ou a polpa da fruta, a casca acaba sendo descartada e vai direto para terrenos baldios e aterros sanitários. Se reaproveitado como suporte para plantas, explica Juliana, o material ainda tem a vantagem de “não exigir a retirada do plástico na hora da plantação, porque o material se decompõe rapidamente, cerca de 20 dias, sem prejudicar o meio ambiente” disse em reportagem ao UOL.