Notícias

10.10.2019
Conquistas

Com tecnologia para filtrar água por meio da luz solar em regiões do semiárido, estudante baiana é premiada pela ONU

A estudante baiana Anna Luisa Beserra, de 21 anos, ganhou um prêmio internacional da Organização das Nações Unidas (ONU), graças ao projeto que criou para filtrar água por meio da luz solar. A estudante ficou entre os 35 finalistas globais e concorreu na categoria América Latina e Caribe com outros 4 jovens. Foi a primeira vez que uma brasileira recebeu o prêmio Jovens Campeões da Terra, que é voltado para jovens empreendedores com ideias inovadoras para o futuro do planeta.

Anna Luisa, que é formada em biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), teve a ideia do “Aqualuz” quando tinha apenas 15 anos e ainda estava no ensino médio. Trata-se de uma caixa em inox que é coberta por um vidro e uma tubulação ligada à cisterna (reservatório usado para armazenar água da chuva). A filtragem da água ocorre sem a necessidade do uso de compostos químicos, o que ajuda na redução dos índices de doença.

Cada ciclo de filtragem dura, em média, 4 horas. E o dispositivo, que filtra até 28 litros por dia, dura cerca de 15 anos, necessitando apenas de limpeza (com água e sabão) e troca do filtro natural (com um estoque de refil já fornecido).

Atualmente, o 'Aqualuz' já distribui água potável para 265 pessoas, na Bahia, Pernambuco, Ceará e Alagoas, e o objetivo é alcançar mais 700 ainda este ano.