Notícias

10.06.2019
Brasil

Cientistas brasileiros criam sensor capaz de diagnosticar Zika através da urina

Por meio de um estudo conduzido pelo Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI), em Campinas (SP), cientistas desenvolveram um sensor capaz de confirmar a doença da Zika através de uma única gota de urina do paciente. O diagnóstico é rápido e efetivo, sem chance de “falsos positivos”.

Por conta dos altos níveis de imprecisão (e falsos positivos), alguns exames já existentes dificultam o correto diagnóstico. Com o advento do sensor, a proteína NS1 pode ser identificada desde o primeiro dia da infecção – um grande salto, já que o ciclo do vírus termina até o oitavo dia.

De acordo com especialistas, essa tecnologia é de baixo custo, podendo facilmente ser implantada no Sistema Único de Saúde (SUS) no curto prazo. O sistema pode ser aplicado em um equipamento portátil de um hospital por cerca de R$ 450. “Poderia ser utilizada também em postos de saúde, sem a necessidade de equipamentos que precisam de pessoas especializadas para operarem”, explica a pesquisadora Talita Mazon.

A descoberta do CTI, aqui no Brasil, repercutiu no mundo. Duas publicações científicas internacionais de peso reconheceram os méritos do dispositivo, uma delas do grupo Nature – a Scientific Reports -, que aceitou a metodologia da pesquisa.