As Notícias do Brasil
Publicado em 11/12/2014, às 16:38
Fonte:

Brasileiro gasta em média R$ 104 por mês com conta de celular e de internet, revela SPC Brasil

 

Uma pesquisa encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz revela que 87% das pessoas que usam celular e acessam a internet consideram estes serviços necessários no dia a dia. E mais: o gasto médio mensal com a conta de celular e de internet já chega a R$ 104 por mês (nas classes A e B esta média sobe para R$ 115 e cai para R$ 98 nas classes C, D e E, o que mostra que o valor gasto pelas diferentes classes é bem próximo). O estudo captou o comportamento de compra das famílias brasileiras e mapeou quais produtos ou serviços são considerados necessários, supérfluos ou sonhos de consumo para o dia a dia delas.

Foi perguntado a um grupo de 620 pessoas onde se concentravam as maiores despesas. E o que chama mais a atenção é o gasto médio mensal de R$ 104 com a conta de celular, o que pode representar uma quantia muito significativa no orçamento de uma família brasileira. De acordo com o estudo, esta média supera o gasto mensal do brasileiro com itens como acessórios (R$ 71), shows, teatro e cinema (R$ 96) e produtos de beleza (R$ 82).

 

Ranking de gastos em 2014

Entre os itens considerados como necessários para a família brasileira, os de maiores gastos em 2014 foram concentrados na compra de roupas, citada por metade dos consumidores, na conta de celular e de internet (30%) e na compra de calçados (30%). Já os maiores gastos classificados como supérfluos foram concentrados na aquisição de acessórios de moda (20%), na ida a restaurantes sofisticados (17%) e na ida a restaurantes aos quais os entrevistados vão com amigos e familiares no dia a dia (17%). Quanto aos sonhos de consumo, os mais citados pelos entrevistados são as viagens turísticas nacionais (30%), as viagens de fim de semana (19%) e os eletroeletrônicos (15%).

 

As preferências variam conforme o perfil socioeconômico

A pesquisa mostra que as prioridades de gastos são diferentes, dependendo do perfil socioeconômico de cada entrevistado. Por exemplo: os pertencentes às classes A e B costumam gastar mais com lazer e produtos mais caros como viagens nacionais (42%, contra 17% na classe C, D e E) e carros (29%, contra 10% nas classes C, D e E).

Por outro lado, os entrevistados das classes C, D e E concentram seus gastos em itens de menor valor como calçados (42%, contra 17% nas classes A e B) e brinquedos (17%, contra 4% nas classes A e B).

 

Bares e restaurantes podem levar a inadimplência

A pesquisa também detectou que boa parte dos gastos sem planejamento foi concentrada na ida a bares (citado por 60% dos que afirmaram usufruir deste tipo de serviço), a restaurantes chiques (55%), na compra de maquiagem e de produtos de beleza (53%) e na aquisição de calçados (50%).

 

Metodologia

O estudo buscou identificar o comportamento de compras do brasileiro em relação à aquisição de serviços e bens em três possibilidades: necessidade, consumo impulsivo e sonhos de consumo. A pesquisa foi realizada junto a 620 consumidores maiores de 18 anos, de todas as 27 capitais brasileiras.