Notícias

01.02.2021
Cultura

Brasileiro é destaque em site da NASA ao fotografar constelação rara

O ano de 2021 começou de forma muito especial para o professor e astrofísico Rodrigo Guerra. No dia 12 de janeiro, a Nasa escolheu o registro feito pelo brasileiro como a “Foto Astronômica do Dia”. A imagem, captada no interior do Paraná, retrata uma constelação da cultura dos povos Tupis, nativos que habitavam nosso país antes da descoberta dos portugueses.

Todos os dias, a Nasa publica uma foto diferente do universo. Essa foto é escolhida entre milhares de imagens que são enviadas de todos os cantos do planeta e é publicada na Astronomy Picture of Day (APOD), que é uma das sessões de maior acesso no site da agência espacial americana.

Inspirado em um ramo da astronomia que estuda a relação entre os povos antigos e suas culturas estelares, Rodrigo Guerra resolveu captar a Constelação do Homem Velho, um asterismo da cultura estelar Tupi formada pelas constelações de Touro e Órion.

Na publicação no site da Nasa, a foto recebeu o título “Uma Constelação Brasileira Histórica” e veio acompanhada do seguinte texto:

“O céu noturno está repleto de histórias. As culturas ao longo da história projetaram algumas de suas lendas mais duradouras nas estrelas do céu. Gerações de pessoas veem essas constelações estelares, ouvem as histórias associadas e as transmitem. Em destaque aqui está a constelação talvez desconhecida do Homem Velho, há muito reconhecida pelos povos Tupis nativos de regiões da América do Sul, hoje conhecidas como Brasil. O Homem Velho, no vernáculo mais moderno, pode ser composto do aglomerado de estrelas de Hyades como sua cabeça e o cinturão de Orion como parte de uma perna. O folclore tupi relata que a outra perna foi cortada por sua esposa infeliz, fazendo com que terminasse na estrela laranja conhecida como Betelgeuse. O aglomerado de estrelas das Plêiades, na extremidade esquerda, pode ser interpretado como um penacho na cabeça. Na imagem em destaque, o velho manco é espelhado por uma pessoa posando em primeiro plano. O folclore do céu noturno é importante por muitas razões, inclusive porque registra o patrimônio cultural e documenta a universalidade da inteligência e da imaginação humana.”