As Notícias do Brasil
Publicado em 10/12/2014, às 15:09
Fonte:

Apesar da Copa, 'marca' Brasil perdeu valor em 2014, diz consultoria

A 'marca' Brasil perdeu 5% de seu valor em 2014, e foi estimada em US$ 1,4 trilhão, segundo ranking da consultoria especializada Brand Finance. Com a queda, o país foi ultrapassado pela Índia e pela Áustrália no ranking das marcas de nações mais valiosas, caindo para a 10ª posição. 

O Brasil, por sinal, foi o único país do 'Top 10' a ver seu valor de marca encolher – apesar da realização da Copa do Mundo este ano. Segundo a consultoria, o crescimento econômico sob o governo Dilma Rousseff tem sido fraco, e o impulso esperado do evento esportivo não se materializou.

O ranking é, mais uma vez, liderado pelos Estados Unidos, cuja marca foi avaliada em US$ 19,26 bilhões. Segundo a Brand Finance, apesar das ações do país serem frequentemente questionadas, décadas como a principal força em finanças, entretenimento, democracia e tecnologia significam que o país 'deve continuar no topo do ranking por vários anos'.

Na segunda posição da lista aparece a China, com valor de marca de US$ 6,352 bilhões, uma alta de 4% ante 2013; seguida pela Alemanha (US$ 4,357 bilhões), Reino Unido (US$ 2,833 bilhões) e Japão (US$ 2,458 bilhões).

Mesmo com crescimento no valor de sua marca, a França perdeu posição no ranking para o Canadá, caindo do sexto para o sétimo lugar. A marca do país foi estimada em US$ 1,938 bilhão – alta de 7% frente ao ano anterior.

Desempenho Os maiores crescimentos de valor de marca este ano foram registrados pelo Catar e por Bangladesh, ambos de 39%. Sri Lanka e Casaquistão cresceram também, ambos, 37%.

Já os piores desempenhos foram da Ucrânia, cuja marca 'encolheu' 37%, para US$ 80 bilhões, e do Líbano, com queda de 23%, para US$ 22 bilhões. Croácia e Rússia tiveram queda, respectivamente, de 9% e 7% no valor de suas marcas.

Copa do Mundo Segundo a consultoria, as evidências sugerem que espetáculos esportivos como a Copa do Mundo não apenas provocam perdas no curto prazo, mas podem ser pouco efetivos na construção do valor de marca de um país.

'Quando os olhos do mundo estão focados em um país, eles podem tanto ver as falhas quanto a imagem que o país está tentando projetar. Os protestos foram uma reação direta ao custo da Copa do Mundo. Em vez do Brasil ser visto como uma economia em rápido desenvolvimento e bem administrada, pronto para receber o mundo, velhos estereótipos de nações latinoamericanas como mal-geridas e ocasionalmente sem lei foram reforçados', diz o relatório da Brand Finance.

A Rússia viveu o mesmo efeito que o Brasil: o valor de marca do país caiu US$ 13 bilhões, para US$ 1,246 trilhão, apesar de ter sediado tanto a corrida inaugural da Fórmula 1 deste ano quanto os Jogos Olímpicos de inverno.

A consultoria diz ter avaliado, no passado, a marca olímpica em US$ 47,6 bilhões. 'No entanto, repetidas experiências demonstram a dificuldade que os países têm para usar o poder da marca para construir a sua própria'.

Fonte: G1